O intestino é um órgão mais importante para o nosso organismo em geral do que imaginamos. Você conhece a ação da hiperpermeabilidade intestinal na doença autoimune? Sim, alguns distúrbios desse órgão, associados a outros fatores, como a predisposição genética, podem desencadear transtornos muito graves.

O que acontece, muitas vezes, é que considera-se a doença, em si, sem investigar mais a fundo as causas. Tal questão permitiria um tratamento mais efetivo, uma vez que se tentaria eliminar os fatores que desencadeiam a reação. É por isso que você precisa de um médico especializado, que fará uma investigação mais completa acerca do problema.

Quer descobrir por que a hiperpermeabilidade intestinal pode levar à doença autoimone? Então acompanhe nosso artigo abaixo.

AGENDE HOJE SUA CONSULTA COM A DRA MARIANA ARAUJO- SAIBA MAIS!

O que é hiperpermeabilidade intestinal?

Hiperpermeabilidade intestinal na doença autoimune

Nosso intestino é todo revestido por uma membrana, chamada de barreira intestinal. Ela é responsável por permitir a correta absorção de nutrientes pelo nosso organismo, bem como impedir a passagem de bactérias e outras substâncias nocivas para o sangue. A hiperpermeabilidade consiste em um espaçamento entre as células dessa barreira.

É como se o material gotejasse para fora do intestino, o que significa que o lúmen e esses agentes nocivos podem ir para a circulação sanguínea. A partir daí, inicia-se uma inflamação. Também considera-se que isso pode funcionar como um gatilho para que o sistema imunológico passe a produzir células que atacam o próprio organismo.

Como surge essa condição?

A hiperpermeabilidade intestinal pode ser estimulada por alguns fatores. A alergia alimentar, disbiose (desequilíbrio nas bactérias do intestino), uso de certas medicações, entre outros, pode resultar em danos à mucosa. O excesso de álcool também pode ser considerado fator de risco nesse sentido.

Algumas doenças inflamatórias intestinais predispõea desenvolver essa condição. Ocorre uma inflamação crônica no trato digestivo, o que resulta em danos à membrana intestinal podendo promover úlceras.

Qual o papel da hiperpermeabilidade intestinal na doença autoimune?

Como dissemos, as substâncias que vazam do intestino para o sangue provocam reações das mais diversas em nosso organismo. Uma delas pode ser o processo autoimune. Entretanto, avaliar tal condição pode ser mais complexo do que imaginamos.

Há controvérsias, por exemplo, em pacientes portadores da diabetes tipo 1 (na qual o sistema imunológico ataca o próprio pâncreas do indivíduo, prejudicando a produção de insulina – substância que controla o açúcar ingerido). Alguns estudiosos acreditam que a doença possa ser resultante da hiperpermeabilidade intestinal, enquanto outros a vêem como causadora dos danos à membrana.

Como tratar a hiperpermeabilidade intestinal?

Se a dieta pode ser um fator de risco para o desenvolvimento dessa condição, uma mudança nela é a chave para evitá-la ou até mesmo tratá-la. Assim, a redução na ingestão de álcool, alimentos inflamatórios e gorduras é o primeiro passo. Além disso, podemos considerar que alimentos ricos em fibras, leguminosas, sementes e frutas auxiliam na restauração da função intestinal. Por fim, há suplementos que podem ajudar.

E você, já discutiu a hiperpermeabilidade intestinal na doença autoimune com o seu médico? Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.